Yago Dora Barra Campeão Mundial no Oi Rio Pro
13/05/2017 13h20 - Vanessa Pedra

Catarinense derrotou John John Florence na bateria que abriu o sábado de praia lotada em Itaúna e Adriano de Souza, Gabriel Medina e Wiggolly Dantas, são os outros brasileiros que seguem na disputa do título em Saquarema

Eram apenas 7 horas da manhã e a Praia de Itaúna já estava lotada para assistir o duelo entre o campeão mundial John John Florence e o vencedor da triagem, Yago Dora, que abriu o sábado do Oi Rio Pro em Saquarema, na Região dos Lagos do Rio de Janeiro. O jovem catarinense completa 21 anos de idade no próximo dia 18 e levou a torcida ao delírio ao derrotar o havaiano na terceira fase da etapa brasileira do World Surf League Championship Tour. Yago salvou a pátria no sábado, pois os outros três que competiram foram eliminados em 13.o lugar, como o campeão do Oi Rio Pro no ano passado, John John Florence. Adriano de Souza, Gabriel Medina, Wiggolly Dantas e Yago Dora, são os brasileiros que seguem na disputa do título do quarto desafio da temporada em Saquarema.

No sábado, as esquerdas de Itaúna apareceram com mais frequência e qualidade do que nos outros dias. Bom para o catarinense mostrar o seu frontside e acertar um aéreo na finalização da onda para receber 8,33 dos juízes. E também pegou uma direita para mostrar a potência do seu backside e praticamente liquidar o havaiano com uma nota 7,17. John John também arriscou os aéreos, porém sem completar as aterrisagens. O máximo que conseguiu somar nas duas notas computadas foram 10,16 pontos, contra 15,50 de Yago Dora.

"Eu tentei ficar tranquilo antes da bateria e estou querendo aproveitar ao máximo o único evento do CT que vou surfar esse ano", disse Yago Dora. "Todo mundo estava comentando sobre o confronto com o John John (Florence), então isso me deixou um pouco nervoso. Só fiquei mais confiante durante a bateria, depois daquele aéreo. Voltando para o pico no jet-ski, chamei a torcida e eles me empolgaram mais ainda. Foi incrível. Agora, meu foco é a quarta fase e espero continuar surfando bem aqui para seguir avançando na competição".

Yago Dora ocupa a terceira posição no ranking do WSL Qualifying Series, que classifica dez surfistas para completar a elite dos top-34 do CT e é liderado pelo paulista Jessé Mendes. O catarinense foi a sensação do sábado na lotada Praia de Itaúna, com a torcida vibrando como num estádio de futebol logo nas primeiras horas da manhã. No entanto, depois, todos os brasileiros foram derrotados por seus adversários e terminaram em 13.o lugar no Oi Rio Pro, marcando 1.750 pontos no ranking e recebendo 11.500 dólares de prêmio.

Com a eliminação do havaiano na terceira fase, o sul-africano Jordy Smith e o australiano Owen Wright, que dividem a vice-liderança, podem tirar a lycra amarela do Jeep WSL Leader de John John Florence em Saquarema. Para ultrapassar o havaiano, precisam chegar nas semifinais da etapa brasileira apresentada por Corona e patrocinada pela Oi. Jordy Smith teve trabalho para superar o potiguar Jadson André numa batalha de notas na casa dos 7 pontos. O brasileiro surfou três ondas neste patamar, porém a melhor do sul-africano - 7,73 - decidiu a pequena vantagem no placar encerrado em 14,90 a 14,27 pontos.

"Eu sabia que precisava escolher bem as ondas", disse o sul-africano. "O Jadson (André) estava com toda a torcida ao seu lado e eu sabia que ele ia mandar uns aéreos nas esquerdas. Eu e o meu técnico falamos bastante sobre que estratégia usar na bateria, mas para isso eu precisava pegar as melhores ondas da bateria. A torcida ia a loucura a cada onda surfada pelos brasileiros, mas na minha cabeça eu estava sem pressão, porque sabia que toda atenção estava focada nele. Estou feliz por ter conseguido avançar para a próxima fase".

Na disputa seguinte, a terceira seguida com brasileiro disputando vaga para as duas rodadas classificatórias para as quartas de final no sábado, Caio Ibelli só conseguiu surfar uma onda boa e foi batido pelo experiente australiano Adrian Buchan por 13,16 a 11,24 pontos. Depois, um dos favoritos ao título do Oi Rio Pro, Filipe Toledo, foi penalizado com a marcação de uma "interferência" na disputa pela primeira onda da bateria e só somaria uma nota com metade da outra, contra duas do adversário. Não entraram muitas ondas boas, o vento não estava favorável para os aéreos e o americano Kanoa Igarashi venceu por 11,73 a 8,57 pontos.

As condições do mar melhoraram logo depois, com dois duelos eletrizantes fechando a terceira fase e a participação masculina no sábado em Saquarema. O restante do dia ficou para as meninas disputarem três rodadas completas para definir as semifinalistas do Oi Rio Women´s Pro na Praia de Itaúna. Na penúltima bateria, o português Frederico Morais ganhou a maior nota do sábado - 9,20 - e ainda assim foi derrotado pelo australiano Julian Wilson por 16,23 a 16,13 pontos. Na última, Owen Wright somou notas 8,70 e 8,30 para superar o norte-americano Nat Young por 17,00 a 15,86 e seguir na busca pela ponta do ranking no Brasil.

"Eu sabia que a batalha ia ser muito dura contra o Nat (Young)", disse Owen Wright. "Acho que surfamos de forma parecida, com estratégias parecidas, buscando pegar as direitas para surfar de backside com manobras fortes e indo para os aéreos somente em caso de emergência (risos). E as notas refletiram isso. Aí achei que precisava mostrar algo diferente para os juízes e foi aquela esquerda muito boa que surfei que acabou fazendo a diferença".

Curta Nossa Página:

http://www.facebook.com/PublicandoNews


Comentários(0)
O material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuição sem prévia autorização.
"Entrega teu caminho ao Senhor, confia nele e tudo o mais ele fará" (Salmos 37.5)