Primeiro Dia de Desfile das Escolas da Série A
14/02/2018 06h00 - Michel Fernandes, Vanessa Pedra

É carnaval! A folia carioca começou na noite desta Sexta-feira(09), com o desfile de seis escolas da série A.

Antes dos desfiles, o Rei Momo Milton Júnior recebeu a chave da cidade pela manhã, abrindo oficialmente o carnaval de 2018. A cerimônia aconteceu no palácio da cidade, em Botafogo, residência oficial do prefeito Marcelo Crivella.

O Rei Momo recebeu as chaves da cidade do presidente da Riotur, Marcelo Alves, e da secretária de Cultura, Nilcemar Nogueira. Também estavam presentes na cerimônia, a rainha Jéssica Maia e as princesas do carnaval, Deisiane Jesus e Cinthia Camillo, além do presidente do Instituto Candonga, Maurício de Jesus, guardião das chaves da cidade.

Já o prefeito Marcelo Crivella se ausentou da entrega pelo segunda vez, e justificou afirmando que "não acha relevante". Todos os prefeitos que o antecederam cumprimram o protocolo.

Confira a seguir, os detalhes dos desfiles.

UNIDOS DE BANGU

A vermelha e branca da zona Oeste abriu o carnaval carioca. Numa concentração sem correrias, e componentes tranquilos, a Unidos de Bangu voltou à Sapucaí com aparência melhor que da última vez que esteve na passarela. Mas não era um primor.
Para uma escola voltando da série B depois de dois anos, num carnaval de grande crise financeira, era de se esperar. As falhas de acabamento eram claras, e a perda de pontos por isso é muito provável.

Apesar da concentração sem problemas, o mestre de bateria chegou junto com terceiro soar da sirene, algo bem incomum. A "paradona" foi empolgante, e bem realizada, mas me causou estranheza a bateria embolar na volta de uma bossa de atabaque. O destaque positivo da escola foi a comissão de frente pela beleza, e simplicidade. Menos é mais! O carro de som também fez bonito, mas convenhamos que com o sambaço da parceria de Diego Nicolau, esta era uma tarefa fácil. Aliás, como Bangu sabe cantar! Foi o que fizeram de melhor, cantaram muito, estavam felizes, satisfeitos com o samba. Uma lástima ter estourado o tempo de desfile. Com 56 minutos, é possível que a agremiação perca 0,1.

Alegorias e adereços sem falha de concepção, mas demonstravam claramente a dificuldade financeira. O abre-alas foi o grande destaque da escola. As demais alegorias não estavam no mesmo patamar. As fantasias eram pouco criativas, um macacão monocromático com algum adereço de cabeça e braço, mas corretas. No geral, a escola não se intimidou com as dificuldades, lutou bravamente para permanecer no grupo.

IMPÉRIO DA TIJUCA

A segunda escola a pisar na avenida foi a verde e branca do morro da formiga. Para a crise que abateu o carnaval como um todo, e que até fez com que a escola realizasse um crowdfounding-também conhecido como vaquinha online-, o que se viu foi luxo e riqueza! Uma concepção de enredo perfeita, abre-alas imponente, as demais alegorias no mesmo patamar, com acabamento para ninguém botar defeito. A vaquinha rendeu bem, e Caribé e Sandro realizaram um trabalho impecável.

Com plástica tão bem resolvida, a estranheza ficou por conta da frieza da comunidade, o que pode ter mudado mais à frente. Porque, ao menos na concentração não ouvi a escola cantar. Destaque também positivo seria a roupa da comissão de frente coreografada por Junior Scapin, não fosse o grave problema das palhas da fantasia que se soltaram ao longo do caminho, o que foi denunciado pelo próprio coreógrafo em seu perfil numa rede social, onde prometeu acionar o responsável pela falha, na justiça. No geral, o morro da formiga está na briga!

ACADÊMICOS DO SOSSEGO

A terceira escola a desfilar na primeira noite de folia veio do largo da batalha, em Niterói. A agremiação tinha o samba mais comentado do pré-caranaval. Ou melhor, o mais elogiado! O samba sem verbo de Felipe filósofo e parceiros deu o que falar, e não era para menos. De fato, uma obra-prima, e sem dúvida o grande destaque da azul e branca.

A crise financeira não teve dó nem piedade, e como tantas outras, o Acadêmicos do Sossego também sofreu com ela. Os componentes aguerridos cantavam forte seu belo samba ainda na concentração, mas vestidos em fantasias mal desenvolvidas. As alegorias com acabamento sofrível também não ajudavam na leitura do enredo.

Além do samba, o outro destaque positivo da escola foi a bateria. Mestre Átila não deu o ar da graça na concentração, mas tirou o melhor som do swing da batalha, trabalho digno de nota dez.

UNIDOS DO PORTO DA PEDRA

Que porrada, São Gonçalo! É assim que tem que ser! Sabe a crise fiananceira, esta que citei algumas vezes acima, e infelizmente terei de citar algumas outras abaixo?! Pois bem, Jaime Cezário não tomou conhecimento dela. Foi lá, sambou na cara da falta de dinheiro, e carnavalizou as rainhas do rádio com muita dignidade.

A Unidos do Porto da Pedra tinha tudo. Tu-di-nho mesmo. Enredo de fácil leitura, alegorias impecáveis, com fino acabamento, fantasias desenvolvidas de forma inteligente, que permitiam o folião brincar o carnaval. Jardel Lemos e sua comissão de frente foram um espetáculo à parte. Que indumentária! Que coreografia! Este rapaz vai longe.

A bateria certeira de mestre Pablo também merece destaque. Com vinte minutos de desfile, parei de fotagrafar, me permiti ser foliã por alguns segundos e sambei maravilhada na volta de uma paradinha impecável. Em seguida, voltei para a labuta. Com uma das melhores apresentações do primeiro dia, o tigre está na briga.

RENASCER DE JACAREPAGUÁ

A quinta e penúltima escola a entrar na avenida foi a Renascer de Jacarepaguá. Vi na concentração uma escola coesa.

Não tem incêndio no pré-carnaval que sobreponha esmero, dedicação e talento. Alegorias de fácil leitura, e bom acabamento contaram o enredo com início, meio e fim, tudo bem amarrado, sem falhas. As fantasias bem desenvolvidas e com agradável colorido também ajudaram.

O sambaço de Cláudio Russo, Moacyr Luz e Diego Nicolau permitiu que mestre Dinho passeasse pela avenida tirando onda. Destaque positivo também para o figurino do primeiro casal, e para o canto forte dos componentes ainda na concentração.

Uma homenagem honesta à Villa Lobos! Uma escola que superou a dor e renasceu!

ESTÁCIO DE SÁ

A escola que encerrou a primeira noite de desfile foi a Estácio de Sá. Depois de realizar uma bela festa de divulgação de um enredo sobre Singapura, os investidores voltaram atrás, e a escola teve de mudar o tema. Tarcísio Zanon não se deixou intimidar.

Apresentou rapidamente um novo enredo e o desenvolveu muitíssimo bem. Curiosamente, o rapaz optou em vários momentos por utilizar acetato, e acertou. Que conjunto de fantasias primoroso! As alegorias apresentavam bom acabamento, apesar da escola ter enfrentado dificuldades na saída do barracão.

O último carro, contudo, ficou aquém dos demais, com desenvolvimento muito inferior. A bateria, muito segura, tocou para o componente sambar, e como sambaram! O estaciano desceu o morro do São Carlos, e brincou o carnaval como deve ser, encantando desde a concentração. O leão esbanjou garra e desenvoltura, e ficou entre as melhores da primeira noite de folia.

                                                                       
         Consulte condições de anúncio através do e-mail: comercial.mkt@publicandonews.com.br

Confira as entrevistas em áudio gravadas na concentração, poucos minutos antes do início do desfile

Coreógrafos da comissão de frente da Unidos de Bangu, Saulo Finelon e Jorge Teixeira

Intérprete oficial da Unidos de Bangu

Esquenta e Samba Oficial da Unidos de Bangu 2018

Carnavalesco do Império da Tijuca, Jorge Caribé

Coreógrafo da Comissão de Frente do Império da Tijuca, Junior Scapin

Mestre de bateria do Império da Tijuca, Jordan Pereira

Esquenta e Samba oficial do Império da Tijuca 2018

Presidente do Acadêmicos do Sossego, Wallace Palhares

Coreógrado da Comissão de frente do Acadêmicos do Sossego, Thiago Manhães

Esquenta e Samba oficial do Acadêmicos do Sossego 2018

Intérprete Oficial da Unidos do Porto da Pedra, Luizinho Andanças

Primeira Porta-bandeira da Unidos do Porto da Pedra, Cintya Santos

Mestre de bateria da Unidos do Porto da Pedra, Pablo

Coreógrado da Comissão de frente da Unidos do Porto da Pedra, Jardel Lemos

Esquenta e Samba oficial da Unidos do Porto da Pedra 2018

Presidente da Renascer de Jacarepaguá, Antônio Carlos Salomão

Esquenta e Samba Oficial da Renascer de Jacarepaguá 2018

Coreógrafa da Comissão de frente da Estácio de Sá, Ariadne Lax

Esquenta e Samba oficial da Estácio de Sá 2018

                                                  

 Consulte condições de anúncio através do e-mail: comercial.mkt@publicandonews.com.br

FLAGRAS DA CONCENTRAÇÃO

Na concentração vemos de tudo um pouco. Ajustes em fantasias, retoques de maquiagem, ensaio de comissão de frente, esquenta de bateria, orações. Confira a seguir, os flagras deste carnaval.

Esquenta de bateria da Unidos de Bangu

Oração da Comissão de frente do Império da Tijuca

Esquenta de bateria do Império da Tijuca

Carnavalesco do Império da Tijuca, Jorge Caribé comemorando o dever cumprido

Esquenta de bateria do Acadêmicos do Sossego

Felipe Filósofo e toda a ala de compositores do Acadêmicos do Sossego cantando o samba

Esquenta de bateria da Unidos do Porto da Pedra

Esquenta de bateria da Renascer de Jacarepaguá

Retoques de maquiagem em ala do setor 1 da Estácio de Sá

Esquenta de bateria da Estácio de Sá

Esquenta da Comissão de frente da Estácio de Sá

 GALERIA DE FOTOS:

http://www.facebook.com/PublicandoNews


Comentários(0)
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
O material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuição sem prévia autorização.
"Entrega teu caminho ao Senhor, confia nele e tudo o mais ele fará" (Salmos 37.5)