Rio de Janeiro Ganha Museu do Samba
13/08/2015 20h00 - Vanessa Pedra

O Rio de Janeiro ganhou na tarde desta quinta-feira, 13 de agosto, o Museu do Samba. Mais do que um novo ponto turístico ou local para guarda e mostra de acervos, o Museu do Samba surge dentro de um novo conceito de museu, um espaço dinâmico de vivência e produção cultural, interação com a comunidade e de memória social.

"Somos os guardiões do samba, aqui mora a história do samba contada por sambistas. E nosso grande desafio é ter um museu de grande porte em uma comunidade como a Mangueira", explica Nilcemar Nogueira, diretora do Centro Cultural Cartola, que agora passa a se chamar Museu do Samba.

Localizado na Avenida Visconde de Niterói, nos pés do Morro da Mangueira, o Museu do Samba teve como marco de seu primeiro dia a inauguração da Sala do Conselho do Samba, que é formado por baluartes e sambistas consagrados como Nelson Sargento, Martinho da Vila, Noca da Portela, Monarco, Tia Surica, Aluísio Machado, Tiãozinho da Mocidade, entre outros.

"A importância do Museu do Samba começa pelo nome, é um lugar que vai buscar o passado e também armazenar o presente", acredita Nelson Sargento. "Ganhamos mais uma porta aberta para os sambistas", comemorou Tia Surica.

Na opinião do produtor cultural Haroldo Costa, o museu preenche uma lacuna na cena cultural. "Faltava um museu específico sobre nosso maior ritmo, o ritmo nacional do Brasil. O Museu do Samba é um museu que abriga as histórias, as músicas e episódios vividos nesses cem anos do samba. É importante não só para o Rio de Janeiro como para todo o país", avaliou Haroldo Costa.


Comentários(0)
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
O material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuição sem prévia autorização.
"Entrega teu caminho ao Senhor, confia nele e tudo o mais ele fará" (Salmos 37.5)