Oi Rio Pro 2016 Muda Palco Principal da Barra Para Grumari
04/05/2016 17h00 - Vanessa Pedra

 

A transferência foi motivada pela sequência de ressacas no Rio de Janeiro que acabou com a faixa de areia na área do Postinho e atingiu a estrutura da arena do evento na Barra da Tijuca

Após três ressacas consecutivas, combinadas com mare muito alta no Rio de Janeiro, atingindo a estrutura da arena do Oi Rio Pro que estava sendo montada no Postinho da Barra da Tijuca, por motivos de segurança, o palco principal da etapa brasileira da World Surf League foi transferido para Grumari. A praia fica num Parque Municipal em Área de Preservação Ambiental (APA) com acesso limitado, mas o Postinho permanece como "back up" para receber a competição nos dias de melhores ondas e vai funcionar todos os dias com promoções dos patrocinadores para o público e telões na praia transmitindo ao vivo os melhores surfistas do mundo competindo pela primeira vez em Grumari pelo worldsurfleague.com. O prazo começa na próxima terça-feira e vai até 21 de maio na capital carioca.

"Foi uma sequência incrível de três ressacas enormes com maré muito alta atingindo diretamente a estrutura do Postinho da Barra", conta Xandi Fontes, General Manager da WSL South America, organizadora da etapa brasileira do Samsung Galaxy World Surf League Championship Tour. "Nós já tínhamos recuperado tudo, estava tudo nivelado no fim de semana, a estrutura toda estabilizada, mas aí teve a nova ressaca de domingo invadindo toda a arena novamente. Contratamos então um engenheiro especialista para analisar as condições e emitir um laudo técnico, que sentenciou o comprometimento de toda a base da estrutura. Então, após essa constatação, decidimos mudar a sede principal para Grumari".

"Foi um fenômeno atípico aqui no Rio e vários lugares ficaram sem praia. Na Barra, sumiu toda a faixa de areia que tinha quando começamos a montagem, antes das ressacas combinadas com marés muito altas da lua cheia", destaca Xandi, complementando que no Postinho será desmontada a maior parte da estrutura atual que está comprometida para montar uma nova, bem menor, mais distante possível do mar para evitar as ressacas. Ela poderá ser usada como sede de back up para receber a competição se estiver com melhores ondas. Já a "Sponsor Village", área de ativações dos patrocinadores do Oi Rio Pro apresentado por Corona, vai funcionar todos os dias com promoções para o público que não for para Grumari. A loja da World Surf League também estará aberta no Postinho para atender aos fãs com produtos exclusivos e telões na praia vão mostrar a transmissão ao vivo do evento.

A intensidade do swell (ondulação) danificou a estrutura do evento no Postinho, tornando-a inutilizável para os próximos dias. Felizmente, temos outra estrutura em Grumari para receber a competição nos primeiros dias da janela do evento e vamos trabalhar para termos o Postinho de volta como uma segunda opção o mais rapidamente possível", disse Kieren Perrow, Comissioner da World Surf League. "Ficamos muito agradecidos pelo trabalho duro do nosso time de produção do evento nestes últimos dias e estamos ansiosos para uma competição de classe mundial nas ondas de Grumari".

Esse fenômeno de ressacas consecutivas nunca aconteceu nos 25 anos de etapas válidas pelo título mundial realizadas no Rio de Janeiro, desde o primeiro circuito em 1976 até 2015, quando o Postinho da Barra recebeu uma multidão considerada como um dos maiores públicos da história do esporte. Após a vitória com seus aéreos espetaculares, Filipe Toledo quase nem conseguiu sair do mar, sem achar espaço na areia para chegar na arena do evento. Para solucionar o problema, a organização do evento construiu uma passarela para os atletas, elevada da areia até a água, mas essa novidade não será utilizada dessa vez.


Comentários(0)
O material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuição sem prévia autorização.
"Entrega teu caminho ao Senhor, confia nele e tudo o mais ele fará" (Salmos 37.5)